Maringá: auxílio emergencial em análise? Saiba o que fazer

Auxílio emergencial em análise? Saiba o que fazer

Hospital Universitário de Maringá ganha repasse para combater o coronavírus
Hospital Universitário de Maringá ganha repasse para combater o coronavírus
24 de abril de 2020
O que fazer quando os óculos embaçam com a máscara
O que fazer quando os óculos embaçam com a máscara
27 de abril de 2020
Auxílio emergencial em análise? Saiba o que fazer

Em Maringá, muitas pessoas ainda não conseguiram ter acesso ao auxílio emergencial do governo federal.

Maringá: auxílio emergencial em análise? Saiba o que fazer

O dinheiro do auxílio emergencial liberado pelo governo federal ainda não chegou a muitos dos beneficiários que têm direito a ele. Entre as principais reclamações dos usuários está a de que o cadastro permanece “em análise” há muito tempo. Assim, eles não conseguem ter acesso à ajuda governamental que seria tão importante neste momento.

O auxílio emergencial foi aprovado pelo Congresso Nacional no começo de abril. O objetivo é socorrer os brasileiros cuja renda diminuiu ou deixou de existir devido à crise causada pela pandemia de coronavírus. Cada usuário pode receber entre R$ 600 e R$ 1,2 mil. Para isso, bastaria inscrever-se no Cadastro Único do governo federal e preencher os requisitos exigidos.

Mas o aplicativo que centraliza o cadastro apresentou diversos problemas de funcionamento. Por isso foi necessário rever funcionalidades e melhorar o sistema.

Auxílio emergencial em análise? Saiba o que fazer

Em Maringá, muitas pessoas ainda não conseguiram ter acesso ao auxílio emergencial do governo federal.

Como receber o auxílio emergencial em Maringá?

Quem já fez o cadastro, mas segue vendo no aplicativo que ele está “em análise“, a orientação da Caixa Econômica Federal é atualizar o aplicativo. Dessa forma as informações serão atualizadas e o beneficiário poderá descobrir se o cadastro foi ou não aprovador. Já aqueles que ainda não estão no Cadastro Único devem se inscrever no site ou no aplicativo – há versão para IOS e para Android.

Muitos dos problemas foram causados pela grande quantidade de pessoas tentando acessar as plataformas. O governo não esperava que fossem tantas e o sistema não estava preparado para tantos acessos simultâneos. O Ministério da Cidadania informou que aqueles que se cadastraram entre os dias 7 e 10 de abril e ainda não tiveram confirmação podem revisar o cadastro no app da Caixa Econômica Federal, que é a responsável por fazer os pagamentos.

Em Maringá e qualquer outra cidade, o procedimento é sempre o mesmo. Em primeiro lugar é preciso estar inscrito no Cadastro Único. Depois, seguir as orientações dadas pelo aplicativo e verificar o calendário com a ordem dos pagamentos. A Caixa vai abrir automaticamente e de forma gratuita uma conta poupança para aqueles usuários que não tiverem conta em banco.

Quem tem direito ao auxílio emergencial?

Podem receber o auxílio emergencial todo os trabalhadores informais do Brasil. Autônomos, desempregados, microempreendedores individuais (MEIs) e beneficiários do Bolsa Família. Inicialmente serão três parcelas pagas para até duas pessoas da mesma família. A cota é de R$ 600, mas pode chegar a R$ 1200 no caso de mulheres que são chefes de família.

Para solicitar é preciso ter mais de 18 anos de idade, não ter emprego formal e não estar recebendo benefício previdenciário ou assistencial. A exceção é o Bolsa Família. Também há um limite de rendimentos. A renda familiar deve ser de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50) ou de até três salários mínimos (R$ 3.135) no total.

Renda emergencial para conter crise do coronavírus

Até a última quarta-feira (22), a Caixa Econômica Federal já havia liberado mais de R$ 22 bilhões do auxílio emergencial. Cerca de 31 milhões de brasileiros já haviam sido beneficiados. Mas esse número ainda é baixo, já que a expectativa é de que, até o fim de abril, a quantidade de beneficiários chegue a 43 milhões. As informações são do Ministério da Cidadania.

Com o fechamento do comércio em inúmeras cidades e a redução da circulação de pessoas para tentar conter a velocidade de transmissão da Covid-19, muitas pessoas acabaram perdendo o emprego. Há, ainda, aquelas que já não tinham emprego formal, mas, devido à crise causada pelo coronavírus, viram sua fonte de renda desaparecer ou ser drasticamente reduzida. Para ajudar esses brasileiros é que foi criado o auxílio emergencial.