Prefeitura inaugura serviço especializado no tratamento da saúde mental

Prefeitura inaugura serviço especializado no tratamento da saúde mental

Gabinete de Portas Abertas visa promover a cidadania
Gabinete de Portas Abertas é modelo de cidadania e política
2 de abril de 2020
Maringá Encantada movimentou cerca de R$ 37 milhões
Maringá Encantada movimentou cerca de R$ 37 milhões
2 de abril de 2020
Prefeitura inaugurou serviço especializado no tratamento da saúde mental

Em 2017, foi inaugurado o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III), que funciona 24 horas

Prefeitura inaugura serviço especializado no tratamento da saúde mental

 

Em nenhum outro momento da nossa história moderna a saúde mental foi tão amplamente discutida como agora. Os transtornos mentais, como depressão, ansiedade e aqueles ligados ao uso de substâncias, são assuntos recorrentes em capas de revistas e jornais, programas de televisão e discussões em redes sociais. Os principais fatores que contribuem para o desenvolvimento do quadro são os problemas nas relações afetivas e a pressão sofrida no ambiente de trabalho. O preconceito contra essas doenças não ajuda em nada a situação. A sociedade precisa conversar sobre o assunto enquanto o poder público precisa promover políticas que possibilitem um tratamento adequado, porque a saúde mental é importante e não pode ser negligenciada. Por isso, em Maringá, a Prefeitura Municipal inaugurou o CAPS III, serviço especializado no tratamento da saúde mental.   

 

Inauguração do CAPS III: saúde mental e atenção psicossocial para a comunidade

 

Dessa forma, a atual gestão desenvolve vários programas e ações com o intuito de prezar pela saúde e bem-estar da população. Logo no primeiro ano de mandato de Ulisses Maia, foi inaugurado o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III), que funciona 24 horas e já se tornou referência na cidade. Com ele, é possível acompanhar de perto os casos mais graves. Em apenas um ano, 12 mil pessoas foram atendidas, e 370 internamentos voluntários realizados. São 12 leitos que disponibilizam tratamento integral aos pacientes por até 14 dias. No local, eles ainda têm acesso à medicamentos, oficinas e consultas com uma equipe multidisciplinar, formada por psicólogos, psiquiatras, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, dentre outros. 

Prefeitura inaugurou serviço especializado no tratamento da saúde mental

Em 2017, foi inaugurado o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III), que funciona 24 horas

Há ainda a possibilidade de participar de aulas semanais de música, expressão livre, oficina criativa, alongamento, arte de pintar, roda de conversa etc. São 120 pessoas distribuídas em 30 grupos, que, dependendo do horário das aulas, recebem almoço e jantar. Já os medicamentos psicotrópicos são retirados na própria CAPS III ou em outros pontos de fornecimento distribuídos pelo município, inclusive a Farmácia Móvel.

 

Os centros psicossociais incentivam a integração social e familiar dos pacientes, uma prática defendida pelo Ministério da Saúde. Além do CAPS III, a rede de atenção à saúde mental de Maringá conta com o CAPSi, com foco em crianças e adolescentes, CAPS II Canção e CAPSad, destinado a quem tem problemas com álcool e drogas.

 

“Setembro Amarelo” e CVV: exemplos de como promover saúde mental

 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 800 mil pessoas morrem todos os anos por suicídio. Para se ter uma ideia, em 2018, Maringá registrou 33 mortes por esse motivo. Até novembro de 2019, 23 pessoas tiraram a própria vida. O assunto ainda é pouco discutido porque a saúde mental é um tabu.

 

Por isso, com o intuito de conscientizar e prevenir sobre o ato, foi criada uma campanha mundial batizada de “Setembro Amarelo”. Nesse sentido, a Secretaria de Saúde do município, em conjunto com o Comitê de Prevenção e Posvenção (atenção às pessoas próximas do suicida) e outras instituições, intensifica várias ações no mês de setembro para lembrar a comunidade da dimensão do problema. Em 2019, por exemplo, foi realizado o “Abraço Solidário”. Com o tema “Você não está sozinho, eu estou aqui”, voluntários distribuíram abraços e abordaram o suicídio com a população que passou pela praça Raposo Tavares. Outro projeto muito elogiado é o “Cartas Amarelas”. São mensagens de apoio escritas por pessoas que tentaram cometer o suicídio. Elas podem ser encontradas em empresas, na rede de educação municipal e nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Todas essas cartas passam por uma análise prévia realizada por psicólogos.

Prefeitura inaugurou serviço especializado no tratamento da saúde mental

Na última campanha, voluntários distribuíram abraços e falaram sobre o suicídio

Quem estiver passando por dificuldades pode ligar ainda para o Centro de Valorização à Vida (telefone 188), que funciona 24 horas. São 116 postos distribuídos por todo o Brasil, com mais de 9 mil ligações diárias. Além disso, os maringaenses contam com psicólogos nas UBSs, atendimento especializado do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e um serviço de emergência no Hospital Municipal. Cada vez mais, a administração de Ulisses Maia se empenha em políticas que desenvolvam a saúde mental na atenção básica.